Rio Acima – Visitando as cachoeiras do Indio, Cristal e Viana

Nosso dia começou com a reunião do grupo no centro de BH, alguns participantes estavam com nosso grupo pela primeira vez, outros já eram irmãos e irmãs de trilha a algum tempo, todos seguimos rumo a nosso destino com muita empolgação pois tínhamos a convicção de que teríamos um dia fantástico como de fato foi, no caminho mais alguns de nós foram chegando aos pontos de encontro diferente que fizemos… Infelizmente uma das iniciantes não estava se sentindo bem e decidiu retornar. Chegando na cidade de Rio Acima, encontramos o ultimo grupo q fecharia a turma super animada, disposta e empolgada que seguiria rumo a um dia inesquecível.

Como na semana anterior Rhuan e eu (Éder)4, havíamos feito reconhecimento da trilha, seguimos de forma que Rhuan puxava o grupo e eu fechava por questão de segurança nos comunicando através de rádios… O clima no início de nossa trilha estava bastante fechado, com algumas neblinas ao horizonte, temíamos que ao chegar nas cachoeiras, não teríamos coragem de entrar nas águas devido ao frio, mas seguimos rumo ao nosso destino… Todos se enturmaram muito rapidamente, pois em eventos com o propósito de diversão a animação é contagiante.
Após cerca de 40 minutos andando, o céu começou a abrir e o sol perdeu sua timidez tomando conta do céu e deixando toda a turma eufórica de felicidade, a animação que já era grande, ficou gigantesca e todos apertaram o passo com o foco nas quedas d’água que estavam por vir… Depois de cerca de uma hora andando, avistamos parcialmente ao longe o nosso objetivo.

As iniciantes que estavam com nosso grupo ficaram fascinadas,pois era de fato uma queda imponente, detalhe “uma queda” esse complexo na verdade é formado por 5 quedas, simplesmente fantásticos e imponentes. Após Rhuan passar algumas informações para as iniciantes, seguimos a trilha para dentro do vale rumo à cachoeira… Adentrando o vale, vimos algumas coisas que inicialmente nos fizeram duvidar de que seria um dia tão bom quanto imaginávamos. Por ser um local de fácil acesso, pessoas de vários lugares seguem para está área para acampar, se fosse apenas isso estaria OK, porem, estas pessoas não carregam de volta o lixo que produzem e deixam tudo espalhado por todo o lugar, é de fato muito triste esta parte do percurso… Mas já estávamos bastante avançados para pensar em voltar atrás e seguimos por ali mesmo, muito tristes com o que estava ao nosso redor… Nossa motivação era o som das quedas que a cada passo dado aumentava e a expectativa dos que estavam para conhecer pela primeira vez aquela belíssima cachoeira. Apos cerca de 20 minutos a primeira parte da cachoeira surgiu à nossa frente, devido a um formato peculiar na rocha onde esta queda desce, deram a essa primeira queda o nome de cachoeira do índio pois lembra vagamente o rosto de um índio caricaturado.
A expressão de felicidade e emoção no olhar dos que estavam ali pela primeira vez valeu cada passo dado para chegar ate ali, um dos meus maiores prazeres é apresentar a pessoas do bem as maravilhas que o mundo nos da apenas contando com nosso respeito a ele…
Permanecemos ali por algum tempo, mas como ainda haviam outras quedas para apresentar, seguimos à diante, neste momento a trilha subiu de nível, o que até aquele momento parecia um passeio, instantaneamente se transformou em um evento de nível difícil para iniciantes, literalmente uma “escalaminhada” pois subimos nas margens da cachoeira escalando pelas raízes, em alguns momento a inclinação é tao grande que passa uma impressão de um angulo de 90°… Tive um pouco de pena dos iniciantes pois sei que não estava sendo nada fácil pra eles, mas sempre sigo com muita motivação e respeito o tempo de cada um, não somos todos iguais, somos pessoas distintas e cada corpo tem seu próprio limite, isso deve ser respeitado. Apos essa subida forte, descemos um pouco e partimos para a segunda queda, esta é uma parte que as pessoas gostam mais de tirar fotos, ela fica logo ao topo da primeira queda e passa uma impressão de janela para o céu.

A visão é de tirar o fôlego, uma paisagem indescritível, e está ali para todos que desejam ir ate lá, apenas exigindo respeito e claro noção do perigo pois seria uma queda fatal. Apos algumas fotos, seguimos para a terceira queda, nesta permanecemos por mais tempo, pois era um lugar onde não havia ninguém, apenas uma bela queda media e um banco de areia que lembrava uma pequena ilha, nesta parte deixamos os iniciantes descansarem de verdade, algumas aproveitaram para almoçar, outros apenas fizeram um lanche rápido.

E claro, como não poderia deixar de ser, entramos na água, estava uma delicia a temperatura, nesta parte da trilha, todos já estavam super entrosados, brincamos na cachoeira como crianças, foi de fato muito divertido, mas nosso dia não acabaria ali, tinha mais algumas quedas nos esperando, então apos algum tempo seguimos em frente, ou melhor a cima… A próxima queda apenas passamos para algumas fotos, e que fotos, muito bela essa queda, ela caía da lateral da serra, formando uma grande cascata que vagamente lembrava um véu de noiva muito, mas muito belo. Apos a sessão de fotos seguimos em frente. Apesar de estarem gostando, dava para perceber que os iniciantes já começavam a dar sinal de cansaço, mas a parte difícil estava para terminar, chegamos então na penúltima queda, nesta parte já dava para visualizar o ponto final do nosso percurso, nesta queda parte do grupo preferiu descansar mais um pouco e outra parte desceu ao poço que de certa forma não é tão acessível para pessoas com pouca experiência, pois as pedras escorregam bastante, em fim, os que desceram se divertiram bastante, foi a assinatura de um dia perfeito. Apos cerca de 30 minutos nos despedimos desta parte e seguimos rumo ao fim das quedas e chegamos ao topo da famigerada cachoeira do Vianna, nesta queda também não entramos na água, apenas mais uma sessão de fotos e seguimos nosso rumo.
Apesar do cansaço, dava pra ver a sensação de dever cumprido e superação no semblante dos iniciantes, estava claro que nunca haviam feito algo tão desafiadoria devido ao desejo de conhecer aquele lugar, certamente todos guardarão aquele dia com um carinho e nostalgia único em suas vidas… Seguimos descendo para o ponto inicial porem por uma nova trilha feita de estrada de terra sem perigo de se perder, sem bifurcações, apenas seguir em frente rumo ao destino final.
Neste momento o ritmo do grupo já havia caído consideravelmente, pois já estava tarde e foi um dia que apesar da diversão, houve muito desgaste físico e de certa forma ate mental… Quase chegando ao ponto inicial, vimos nosso ônibus partindo e como estávamos em uma distância considerável não daria tempo de correr atrás para tentar interceptá-lo… O próximo seria após uma hora, mas como não havia preocupação com o horário, simplesmente aguardamos o próximo descansando, conversando e atualizando nossa vida virtual, pois apenas nesse momento ocioso de cidade grande que nos lembramos dos celulares.
Uma hora se e o ônibus chegou e seguimos para casa, todos estávamos muito cansados, mas com desejo de ter mais dias como este em nossas vidas, pois a sensação de viver a vida de verdade não tem preço

Fotos

Cachoeira do Indio, Cristal e Viana

Compartilhe
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial